domingo, 22 de janeiro de 2012

Candidatos reclamam de prova de português em concurso do MPE

Textos para interpretação eram muito extensos, segundo eles


Mais de cinco mil candidatos fizeram as provas do concurso do Ministério Público Estadual neste domingo (22), nos municípios Maceió, Arapiraca, Penedo, Delmiro Gouveia e União dos Palmares. Hoje, apenas os candidatos aos cargos de nível superior. Os portões foram abertos às 16 horas para quem já tivesse terminado a prova. A maior reclamação foi a mudança nas provas de português que apresentaram textos maiores para interpretação.

“Eu não estudei muito, mas a prova como um todo não estava difícil, apenas a parte de português estava muito extensa. Acabou sendo cansativo”, explicou Janaína Souza, de 32 anos, que concorre ao cargo de assessor jurídico.

As provas tiveram 100 questões, sendo 50 de conhecimento básico (português, raciocínio lógico, informática, fundamento da administração pública e Legislação aplicada ao MPE) e outras 50 de conhecimento específico para cada área. O gabarito do nível superior será divulgado no site da Copeve a partir das 21h do dia 24 de janeiro. 

Alguns tentam a muito tempo conquistar uma vaga no serviço público, que oferece mais estabilidade do que as empresas privadas. Eric Araújo, de 34 anos, tenta passar em um concurso desde 2006. Até agora não obteve êxito, mas não desiste de alcançar o seu objetivo. “Já passei por vários cursinhos e não resolveram, mas eu vou continuar tentando passar”, afirmou. Já Márcio Tenório, de 30 anos, não se restringe ao território alagoano. “Eu fiz semana passada o concurso para o Tribunal de Justiça de Pernambuco. Lá a prova foi melhor do que aqui. Essa foi muito cansativa”.

Os 9.855 candidatos que concorrem aos cargos de nível médio farão no dia 29 de janeiro. Um esquema especial de segurança também foi elaborado para evitar tentativas de fraudes no dia do concurso – com portões sendo fechados às 12h40 (no horário de Alagoas). Todo o processo é desenvolvido pela Fundepes/Ufal.

A remuneração inicial para os cursos que exigem nível superior é R$ 3 mil. Para analistas na área jurídica (17 vagas), exclusivamente, para bacharéis em Direito. Na área administrativa são ofertadas (11 vagas) para quem concluiu graduação em qualquer curso superior, mas também há vagas destinadas para formados em Administração Pública, Ciências Contábeis, Comunicação Social, Informática, Direito e Economia. Também serão realizadas provas para o preenchimento de cadastros de reserva para os cursos de Biblioteconomia, Informática, Psicologia e Serviço Social. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais.




Fonte: Gazeta Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário