quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Caso Ceci: defesa diz que vai recorrer da decisão de condenação dos réus

Condenados foram levados para o IML e, em seguida, para o sistema prisional

Welton Roberto, advogado de Talvane Albuquerque, antes mesmo do julgamento ter sido encerrado pelo juiz André Maia Tobias Granja, anunciou que a defesa vai recorrer da decisão que condenou os cinco réus a 475 anos de cadeia em regime fechado e ao pagamento de indenizações milionárias às famílias das vítimas. Eles também tiveram prisão decretada pelo magistrado da 1ª Vara Federal de Alagoas. 

Jadiélson Barbosa, Alécio Vasco, José Alexandre dos Santos e Mendonça Medeiros foram condenados pelo crime de homicídio triplamente qualificado, com os agravantes de assassinatos cometidos por motivo torpe, consistente na promessa de recompensa; perpetrado sem a possibilidade de defesa para as vítimas e para assegurar a impunidade para outro crime, no caso, o de Ceci Cunha. 

Já o ex-deputado federal Talvane Albuquerque também foi considerado culpado pelas quatro mortes ocorridas na noite do dia 16 de dezembro de 1998. Ele foi condenado pelo crime de homicídio duplamente qualificado, com os agravantes de motivação torpe - para ter como finalidade o mandato de deputado federal no lugar de Ceci Cunha - e executado sem qualquer chance de defesa das vítimas.

“Nesse julgamento não existiu vencedor ou derrotado. Todavia, estamos solicitando que os autos da ação penal sejam enviados ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região para que possamos ter acesso ao seu conteúdo integral e preparar a defesa”, explicou Welton Roberto.

O advogado José Fragoso, contratado pela família das vítimas, informou que, caso a defesa dos réus, de fato, recorra, a acusação vai ingressar com uma contra-razão para que a prisão dos acusados e a condenação deles sejam mantidas.

Condenados se despediram da família

Os cinco réus tiveram a oportunidade de falar com seus familiares antes de seguir para a prisão. Tal pedido foi solicitado pelos advogados de defesa dos condenados. 

Os filhos do ex-deputado Talvane Albuquerque choraram ao abraçar o pai e saíram do prédio da Justiça Federal ainda bastante emocionados. 

Uma mulher, familiar de um dos assesores de Talvane, chegou a desmaiar ao abraçar Alécio Vasco. Ela foi apoiada por parentes e retirada do local.

Acusados ficarão detidos no sistema prisional

Os cinco condenados, após deixarem a Justiça Federal, foram encaminhados para o IML para a realização de exame de corpo delito. Eles foram acompanhados por agentes da Polícia Federal e, de lá, seguirão para uma unidade no sistema prisional. Apenas Talvane Albuquerque, por ter curso superior e gozar do direito de prisão especial, deverá ser levado para o quartel do Corpo de Bombeiros. 

Antes de ser retirado do auditório pela PF, Talvane Albuquerque falou com a imprensa. “O que aconteceu hoje foi apenas um recomeçar. Estou vivendo uma nova experiência de vida e tenho que enfrentá-la com serenidade e calma”, afirmou. 

Ao ser questionado se estaria ‘arrependido’ de ter planejado a morte da deputada Ceci Cunha, ele respondeu: “Não tenho motivos para me arrepender de nada, porque nada eu fiz contra ela”, disse. 

De acordo com Welton Roberto, até amanhã a defesa deverá entrar com um pedido de habeas corpus para conseguir relaxar a prisão de Talvane Albuquerque.


Fonte: Gazeta Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário