terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Antonio Barreto um Cordelista Baiano


O blog diário alagoano retorna com uma entrevista própria, o entrevistado é Antonio Barreto um Cordelista Baiano.




Ficou conhecido aqui pelo o Diário Alagoano, através de um cordel feito para Pedro Bial.
Antonio Barreto tem um blog Chamado "A voz do Cordel" Clique aqui e veja os cordéis feito por ele.

O blog Diário Alagoano trás aqui um pouco da literatura de  cordel, para quem não sabe ainda o que é, aqui vai um pouco da história..

Literatura de cordel também conhecida no Brasil como folheto, é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos. Remonta ao século XVI, quando o Renascimento popularizou a impressão de relatos orais, e mantém-se uma forma literária popular no Brasil. O nome tem origem na forma como tradicionalmente os folhetos eram expostos para venda, pendurados em cordas, cordéis ou barbantes em Portugal. No Nordeste do Brasil o nome foi herdado, mas a tradição do barbante não se perpetuou: o folheto brasileiro pode ou não estar exposto em barbantes. Alguns poemas são ilustrados comxilogravuras, também usadas nas capas. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores. Para reunir os expoentes deste gênero literário típico do Brasil, foi fundada em 1988 a Academia Brasileira de Literatura de Cordel, com sede no Rio de Janeiro.

VEJA O VÍDEO: Big Brother Brasil um programa Imbecil.



Conheça um pouco sobre a história de Antonio Barreto.

1ª  Há quanto tempo você faz Cordéis e quando começou a se interessar?

Faço cordel desde a encarnação anterior!  Andei por lá fazendo muita bobagem e agora estou de volta ao Planeta Azul para me redimir!  Mas aqui nesta vida comecei a publicar oficialmente há 9 anos.

2ª)  Quando foi seu primeiro cordel e qual foi a sua sensação ao saber que você tinha feito um cordel?

Meu primeiro cordel chama-se “Discurso de um caipira arretado”, publicado em 2004. Fiz o lançamento ma Cantina da Lua, um restaurante famoso aqui de Salvador, no Pelourinho. Foi casa cheia, apareceu muita gente bacana, inclusive dois repentistas daqui, Paraíba da Viola e Leandro Tranquilino, que deram um show à parte !
A partir daquele momento não parei mais de escrever meus cordéis, agora já são 135 folhetos publicados.

3ª) Algum cordel que fez mais sucesso em sua Carreira? (se não for problema, cite-o )

Vários cordéis meus fazem sucesso até hoje, tais como “A história do  aluno preguiçoso que não gostava de estudar”, “A peleja de Raul Seixas com Zé Limeira no avarandado da Lua”, “Mentiras que o povo gosta em época de eleição”,A peleja do aluno brigão com o aluno estudioso”, “Uma experiência de cordel na sala de aula”, “Novo acordo ortográfico em versos de cordel”  etc. Mas o meu livreto de cordel que mais tem feito sucesso é o “Big Brother Brasil: Um Programa Imbecil”, que internautas do mundo inteiro conhecem. Até hoje recebo e-mail’s de todo o país e do exterior elogiando a minha postura crítica diante da “poderosa” rede Globo.

4ª)  O Cordel a respeito do Big Brother Brasil resultou em algo? 

De forma profunda, resultou no reconhecimento do meu trabalho. As pessoas me abordam na rua e me parabenizam pela lucidez do referido cordel. E isso se dá pelo clamor das pessoas esclarecidas, que reconhecem o quanto a Globo e Pedro Bial têm sido estúpidos para com o povo brasileiro.

5ª) Quais são os temas que você prefere para fazer os cordéis, por quê?

Meus temas são bem variados: o homem do campo, futebol, política, crítica social, humor, erotismo, biografia, a natureza, os animais etc. Mas o tema que me encanta mesmo é a educação, já que sou formado em letras Vernáculas, pós graduado em Psicopedagogia e exerço o ofício pedagógico na escola da rede pública há 20 anos. Inclusive muito da minha produção cordelística está relacionada à vivência com os meus alunos.

6ª)  Você tem algum local que te faz pensar melhor p/ fazer os cordéis?

Não há um local especifico, escrevo em qualquer lugar: dentro de ônibus coletivo, em shopping center, em banco de jardim, no computador, dentro de avião, na praia, nas caatingas do sertão baiano etc. Mas a rede é um lugar extremamente convidativo. Costumo me deitar na rede e ficar horas escrevendo, às vezes o dia inteiro !

7ª)  Teve ou tem algum cordel que fez polêmica ? Qual ?

Sim, talvez o mais polêmico tenha sido “Caetano Veloso: um sujeito alfabetizado, deselegante e preconceituoso”. Esse cordel me deu muita dor de cabeça. O “fã-clube” do Caetano, aqui em Salvador, ficou em prantos, a “meninada” chora até hoje! Mas isso já é passado, vou tocando em frente pensando no próximo alvo merecedor da minha crítica cordelística !

8ª) E para terminar o que você tem a dizer para o povo alagoano e brasileiro?

Aquele abraço !!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário