sábado, 21 de julho de 2012

Preço da gasolina deve subir, dizem donos de postos

Posto na Ponta Verde: gasolina a R$ 2,79
Quase um mês depois de a Petrobras anunciar um aumento de 7,83% no preço da gasolina nas refinarias do país, motoristas de Maceió começam a perceber alterações nos valores pagos na hora de abastecer os carros. Em alguns estabelecimentos da capital, o aumento no preço da gasolina durante a última semana gerou reclamações entre consumidores.



Em contato com o Tudo Na Hora, consumidores relataram variações de R$ 0,04 a R$ 0,08 no valor cobrado pelo litro do combustível na última semana. Dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) mostram que o preço médio da gasolina na capital na última semana está sendo de R$ 2,75, podendo chegar a R$ 2,79 em alguns postos.
Posto na orla: gasolina a R$ 2,79
E, embora ainda não mensurem os reais impactos da medida da Petrobras no dia-a-dia, os donos de postos de abastecimento avisam: o valor cobrado ao consumidor tende a subir, principalmente na época da entressafra da cana-de-açúcar no Nordeste, que vai até setembro.
De acordo com o empresário Carlos Henrique Toledo, presidente do sindicato que representa as empresas de abastecimento (Sindcombustíveis), alguns postos já começaram a comprar o combustível mais caro. “O aumento tem variado de três a quatro centavos, dependendo da bandeira. Só não posso dizer se isso é coincidência ou já é reflexo do aumento de preço da Petrobras nas refinarias, porque em outras bandeiras nada mudou”, disse Toledo.
À reportagem, o empresário ressaltou que as informações repassadas não se referiam ao sindicato, mas a ele próprio, como comerciante. Segundo ele, houve uma série de promoções nas últimas semanas nos postos, que começaram a ser encerradas nesta semana.
Posto no Jacintinho: gasolina comum a R$ 2,78
“O sindicato não se envolve em preços de venda, sequer faz pesquisas de valores”, disse. “Mas, como empresário, posso dizer que quem dita o preço da gasolina é o mercado e o natural é que ele aumente. Para conseguirmos pagar todas as contas em dia, precisamos vender o combustível de R$ 0,40 a R$ 0,50 mais caro do que o preço que compramos nas distribuidoras”, avaliou Carlos Toledo.
Outro empresário contatado pelo Tudo Na Hora afirmou que outro importante motivo para o aumento dos preços verificados nas bombas é o período de entressafra da cana-de-açucar, matéria-prima do álcool. “Cada litro de gasolina possui 20% de etanol”, explica o proprietário do posto, que pediu para não ser identificado. “Neste período estamos importando a o álcool de São Paulo e a gasolina acaba ficando mais cara”.


Fonte: Tudo na Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário