domingo, 12 de agosto de 2012

Cachorra de duas patas ganha novo lar e já está no interior de São Paulo

Manuela consegue correr mesmo
com apenas duas patas 

A cachorra Manuela, que teve duas patas amputadas após cair de uma laje em Santos, foi entregue para a nova dona em Espírito Santo do Pinhal, no interior de São Paulo. A nova dona de Manu é uma veterinária, que ficou sabendo da situação da cadela após a mãe, que mora em Santos, no litoral de São Paulo, assistir uma matéria contando a história do animal.
Manuela terá a companhia de quatro cães e dois gatos, além de Bombom, a cachorra que ajudou na recuperação de Manu após ela ficar duas semanas agonizando depois de ter se acidentado. A diretora da ONG Defesa da Vida Animal, Marília Moreira, acompanhou a entrega de Manu à nova dona: “Elas chegaram e se sentiram em casa. Os gatos foram até elas e ficaram cheirando. Já estão se entendendo. O que ela precisa é de um lar amoroso, de alguém que a ame. Parece que a nova dona da Manu vai dar tudo isso a ela”, conta.
Manu está bem e não está mais sendo medicada. A dona de Manu é uma veterinária que trabalha com acupuntura, tratamento que pretende aplicar em Manu mais para frente. “O único cuidado que ela precisa agora é se adaptar e ficar bem no novo lar”, conclui Marília.
O caso
A história da cadela Manuela comoveu os moradores de Santos. Segundo os veterinários, Manu tem pouco mais de 1 ano de idade. Ela caiu de uma laje na casa onde morava e ficou agonizando durante 15 dias, já que os donos ignoraram o fato de ela ter ficado ferida, com duas fraturas expostas e sem conseguir se alimentar. Quando finalmente foi socorrida, Manu precisou amputar as duas patas por causa de uma infecção.

No início, as veterinárias acreditavam que ela precisaria de uma cadeira de rodas para sobreviver, mas a cachorra mostrou que isso não seria necessário e, mesmo sem duas patas do mesmo lado do corpo, conseguiu se equilibrar, andar, correr e até subir escadas sem nenhuma ajuda. Os movimentos de Manuela, no início, contavam com a ajuda de Bombom, uma outra cachorra que recebia tratamentos por causa de um atropelamento. A parceria entre as duas se fortaleceu dia após dia e, por isso, na hora da adoção, as duas acabaram indo para o mesmo lar para continuarem convivendo.
Os antigos donos de Manuela foram intimados a comparecer na Coprovida. Segundo Leila, o dono do animal não chegou a olhar para a cachorra nem procurou saber como ela estava. Pela atitude, ele acabou recebendo uma multa de R$ 1 mil por maus-tratos aos animais e omissão de socorro.




Fonte: Primeira Edição

Nenhum comentário:

Postar um comentário