sábado, 18 de agosto de 2012

Empresas ampliam número de vagas para deficientes físicos

Equipe trabalha para conseguir mais currículos
Núcleo de Mercado de Trabalho da Adefal recebe cincos pedidos por dia para preenchimento de vagas


Cinco pedidos para preenchimentos de vagas de trabalho todos os dias. São esses os números que registram o Núcleo de Mercado de Trabalho da Associação dos Deficientes Físicos de Alagoas (Adefal). As empresas estão ofertando vagas, mas a procura ainda é pouca.
Segundo a psicóloga Telma Rodrigues Albino muitas pessoas desconhecem o serviço. "Contratamos mais duas assistentes sociais para nos ajudar devido a demanda dos empresários. Porém as pessoas não aparecem", disse. A profissional ainda explicou que a mentalidade de que o deficiente possa sofrer preconceito no local de trabalho ainda é forte. "As empresas que nos procuram realizam um verdadeiro trabalho de inclusão e preparamos os futuros colegas do deficiente para que não ocorra esse tipo de problema", completou.
A assistente social Maria Madela informou que o banco de dados da Adefal é amplo, mas a quantidade de profissionais em relação aos pedidos não é suficiente. "Temos até pessoas com com nível superior", falou sobre a qualidade dos profissionais.
"Nós analisamos a perfil do deficiente e depois fazemos uma entrevista. Confrotamos com as vagas que temos no banco de dados e então o encaminhamos para a empresa", explicou a assistente social Joseane Sirqueira.
Dados do setor apontam que ano passado 1700 deficientes foram contratados. "O importante é que essas pessoas tenham consciência que são capazes e que devem se capacitar com curso profissionalizantes. O deficiente não pode se sentir excluído", destacou Telma Rodrigues.
Para concorrer as vagas, os interessados devem procurar o setor de Mercado de Trabalho no prédio anexo da Adefal, localizado na Rua José de Alencar, 134 no bairro do Farol ou mandar o currículo pelo email: mercadodetrabalho@adefal.org.



Fonte: Primeira Edição

Nenhum comentário:

Postar um comentário