quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Estado aumenta em 625% a distribuição de medicamentos na Farmex

Anualmente, o governo investe mais de R$ 87 milhões para atender os alagoanos



Nos cinco anos da atual gestão estadual, o número de alagoanos atendidos pelo Componente Especializado Farmacêutico (Ceaf), antiga Farmex, aumentou 625%, com investimento R$ 87 milhões por ano, sendo recursos do Estado e da União. Em 2007, 4.800 pacientes do Sistema Único de Saúde eram usuários da unidade e atualmente são 30.100 atendidos. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (2), pelo governador Teotonio Vilela Filho, que visitou a Diretoria de Assistência Farmacêutica (DAF), acompanhado do secretário de Estado da Saúde, Alexandre Toledo.
O incremento de mais 28.000 alagoanos recebendo remédios de alto custo gratuitamente faz parte do Programa de Descentralização e Modernização da Assistência Farmacêutica, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Desde o início da atual gestão, já foram inauguradas unidades em Arapiraca, Palmeira dos Índios, Penedo e São Miguel dos Campos, mas já existe projeto para descentralizar o serviço para Viçosa, Delmiro Gouveia, Santana do Ipanema, União dos Palmares, Porto Calvo e Matriz do Camaragibe.
“Nosso propósito é melhorar a assistência farmacêutica para os alagoanos e já estamos trabalhando neste sentido, pois o número de alagoanos atendidos pela Ceaf cresceu de forma bastante expressiva. E já estamos trabalhando para que o serviço chegue aos 102 municípios do Estado, por meio de investimentos do Programa Alagoas Tem Pressa, onde também iremos criar o programa para a entrega domiciliar, destinado a atender os pacientes acamados”, afirmou o governador, informando que serão 116 unidades até 2015.
Acesso ao serviço – Para se cadastrar no Componente Especializado Farmacêutico, os alagoanos devem passar por uma consulta médica, onde serão realizados exames para detectar a patologia. Com o laudo em mãos, o paciente ou familiar se dirige à sede da antiga Farmex, localizada na Rua Goiás, bairro Farol, em Maceió, e após 15 dias já poderá ter acesso ao medicamento, com exceção da morfina, codeína, imunoglobulina, que são liberados imediatamente.
Segundo o diretor de Assistência Farmacêutica da Sesau, Fábio Pacheco, todos os cadastrados já sabem o dia que devem se dirigir para o Ceaf, visando receber o medicamento para tratar sua patologia. “A unidade está interligada ao Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica (HÓRUS), criado pelo Ministro da Saúde (MS) para controlar e avaliar a distribuição dos medicamentos, otimizando o controle e evitando desperdícios”, afirmou Pacheco.



Fonte: Agência Alagoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário