quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Filhos de Michael Jackson ficarão sob guarda compartilhada


O juiz Mitchell Beckloff, do Tribunal Superior do condado de Los Angeles, devolveu, nesta quinta-feira (2), a custódia temporária dos filhos de Michael Jackson à avó, Katherine Jackson, que a compartilhará com Tito Joe Jackson, sobrinho do rei do pop.
"Parece claro que as crianças são bem cuidadas pela senhora Jackson, que por sua vez as ama muito e tem substanciais e significativas relações com T.J Jackson", declarou Beckloff na audiência desta quinta-feira (2), segundo informou o jornal Los Angeles Times.
Beckloff explicou que, por enquanto, a guarda compartilhada será temporária, até que se realize uma nova audiência, prevista para 22 de agosto, na qual poderá ratificar a sentença.
Uma das advogadas que representa os filhos do músico, Margaret Lodise, relatou, na saída do julgamento, que a cantora Diana Ross - a quem Michael nomeou responsável por seus filhos no caso de sua mãe não poder fazê-lo -, visitou as crianças em sua residência californiana de Calabasas, na quarta-feira (1), e concordou que Tito Joe e Katherine Jackson compartilhem a custódia.
A nova decisão do tribunal ocorreu depois que a guarda de Prince Michael, Paris e "Blanket" havia sido retirada da avó em 25 de julho, depois que ela ficou 10 dias desaparecida, sem que ninguém da família soubesse de seu paradeiro.
A prolongada ausência de Katherine fez com que Paris Jackson, 14 anos, recorresse ao Twitter para manifestar que não falava com ela há 8 dias. Pouco depois, porém, parte das diferenças dentro da família Jackson parece ter sido resolvida, depois que o advogado de Katherine, Perry R. Sanders Jr, explicou que ela foi internada em um spa porque apresentava pressão arterial elevada.
Segundo vazou na imprensa local, Randy, Jermaine, Rebbie e Janet Jackson, irmãos de Michael, internaram a mãe para receber tratamento, sem informar devidamente o seu paradeiro ao resto da família - o que depois de alguns dias fomentou rumores inclusive de um possível sequestro.
Na quarta-feira (1), Jermaine emitiu um comunicado em que dizia oferecer um "ramo de oliveira" para selar a paz, e pedia à família para se unir de novo. "Chega. Após um exame de consciência, é claramente o momento de viver segundo as palavras de Michael de amor, e não de guerra", concluiu ela em sua nota.



Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário