terça-feira, 28 de agosto de 2012

Pneumologista do Hospital do Açúcar alerta para os malefícios do cigarro

Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto
Classificado como doença e vetor de outros problemas de saúde, o uso do tabaco é alvo de campanha em todo Brasil, nesta quarta-feira, 29, Dia Nacional de Combate ao Fumo. Para o pneumologista do Hospital do Açúcar, José Araújo Pinto, a palavra de ordem é ‘Parar de Fumar’. Com experiência no tratamento de fumantes, o especialista traça algumas das consequências que o adiamento de uma decisão tão importante pode causar aos dependentes do tabaco.

Estudos comprovam que fumar cigarro não causa apenas doenças respiratórias, como bronquite, enfisema pulmonar e câncer de pulmão. Fumar desencadeia doenças vasculares, cardiovasculares, dermatológicas e outros tipos de câncer como de esôfago, laringe e até na bexiga.

“Um caso que podemos usar como exemplo foi a luta do ex-presidente Lula contra um câncer na laringe, possivelmente, consequência do cigarro. Tabagismo é doença, não é fácil parar. A nicotina é droga que vicia rápido, porém, quanto mais cedo se tomar a decisão de parar, menores serão as consequências à saúde”, alertou José Araújo Pinto.

O pneumologista ressaltou que todo fumante tem atitude avessa a qualquer tipo de informação que esclareça sobre os malefícios do fumo, por isso, a decisão de parar de fumar torna-se unilateral. Os usuários da droga não levam em consideração os danos aos fumantes passivos e até ao meio ambiente.

“Parar de fumar é um investimento para o futuro, é sobre tudo uma questão de educação. Com uma nova atitude o ex-fumante vai passar aos seus filhos, por exemplo, uma mensagem de um mundo melhor e de respeito ao próximo. Quem fuma faz uma opção pela doença, pode ou não ter uma doença de pulmão, pode ou não ter alguma doença causada pelo cigarro, mas com certeza terá alguma doença agravada pelo mau hábito”, destacou o médico.

Em abril deste ano, o Ministério da Saúde divulgou uma pesquisa realizada pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção  para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, que constatou que 18,1% dos homens brasileiros e 12% das mulheres admitem ser fumantes.

“O Dia Nacional de Combate ao Fumo é importantíssimo para que seja trabalhado entre as novas gerações os malefícios da doença. A evolução do trabalho educativo já pode ser constatada, porque as gerações mais novas fumam menos e derrubaram o estigma de que fumar gera status”, avaliou o pneumologista José Araújo Pinto.  






Fonte: Primeira Edição

Nenhum comentário:

Postar um comentário