quarta-feira, 8 de agosto de 2012

TIM: presidente nega veementemente quedas propositais do Infinity

"Vazamento do relatório passou a ser uma peça de acusação que afeta muito a imagem da TIM no mercado", disse Mário Girasole


O vice-presidente da TIM, Mário Girasole, voltou a negar que a companhia derrube deliberadamente as ligações realizadas por clientes de seus panos Infinity. Um relatório preliminar da Agência Nacional  de Telecomunicações (Anatel) apontou que a operadora poderia estar desligando as chamadas desses usuários para forçarem novas ligações e, consequentemente, mais cobranças.
"A TIM nega veementemente essa acusação de quedas propositais do Infinity", disse o executivo em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia  do Senado. "Uma derrubada deliberada de chamadas é fraude, é crime, e precisa ter respaldo técnico e documental de altíssima segurança para ser colocado nas costas de empresas", completou.
Segundo Girasole, o relatório da Anatel contém erros básicos ao desprezar motivos de quedas nas ligações que não culpa da operadora, como o fim da bateria dos aparelhos celulares, o deslocamento dos usuários para áreas de sombra, o fim dos créditos pré-pagos, a reinicialização de smartphones ou mesmo as manutenções programadas nas redes.
"Além disso, as quedas nas chamadas da TIM são aleatórias porque a rede não identifica qual é o plano de serviço do usuário, a tarifação é feito de outro lado", acrescentou o executivo. "O processo tem conclusões erradas porque parte de premissas erradas, e com vazamento do relatório passou a ser uma peça de acusação que afeta muito a imagem da TIM no mercado", completou Girasole. Ele ainda alegou que a reputação dos 11 mil funcionários não pode ser colocada em risco, e por isso também pediu rapidez à Anatel no esclarecimento desse processo. 


Fonte: Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário