sábado, 18 de agosto de 2012

Ufal continua greve apesar do retorno de algumas universidades


Apesar do fim da greve em oito universidades brasileiras, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) continuará com suas atividades paralisadas, segundo afirmou o presidente em exercício da Associação dos Docentes da Ufal (Adufal), professor Márcio Barboza.
Aulas na Ufal não serão retomadas
Na última sexta-feira (17), professores das universidade de Brasília (UnB), Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), Federal de Santa Catarina (UFSC), Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA); São Carlos (Ufscar) no campus de Sorocaba; 12 campi do Instituto Federal do Paraná (IFPR) e três do Instituto Federal do Acre (IFAC) retomaram, pelo menos parcialmente, suas atividades acadêmicas.
A decisão dos colegas, entretanto, não enfraquece o movimento grevista que acontece em todo País, segundo afirmou Márcio Barboza. “Mais de 90% das universidades estão firmes na greve e o retorno de algumas destas unidades ainda é bastante questionável, como o da UnB, onde a decisão pelo retorno foi tomada numa assembleia em muitas pessoas não estava presentes”, afirmou o presidente da Adufal.
Na próxima quarta-feira (22), a Adufal volta a fazer uma assembleia para discutir novas estratégias do movimento grevista. “Estamos firmes em alcançar nossas metas. Falta apenas o governo reabrir a negociação para chegarmos a um ponto comum”, explicou o professor.
Os aumentos propostos pelo governo aos professores variam de 25% a 40%. Além disso, as carreiras foram reduzidas de 17 para 13 níveis, permitindo uma progressão mais rápida dos docentes.
Os docentes pleiteiam melhoria nas condições de trabalho e ensino nas instituições; atendimento das pautas locais; carreira única, mais simples, com 13 níveis e steps definidos; valorização da titulação e do regime de trabalho, em especial a Dedicação Exclusiva; incorporação das gratificações e paridade entre ativos e aposentados.



Fonte: Tudo na Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário