sexta-feira, 24 de agosto de 2012

UPA inaugurada há 48 dias continua fechada em Penedo

Gestores afirmam que unidade abrirá às portas ainda em agosto

UPA de Penedo está pronta, mas ainda não funciona  
Construída como redenção para melhorar a qualidade do serviço de saúde da população que vive nos municípios da região do Baixo São Francisco, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Penedo, que recebeu investimentos na ordem de R$ 2,8 milhões, e foi inaugurada em solenidade festiva no dia 6 de julho deste ano, continua fechada.

Segundo a secretária municipal de Saúde de Penedo, Geonice Peixoto, responsável pelos tramites finais para colocar em funcionamento a unidade de saúde que deve atender cerca de 350 pessoas por dia, a estimativa é que a UPA de Penedo seja aberta nesta próxima semana.

“Ainda não posso precisar a data. Mas, a previsão é que até a próxima a semana a UPA esteja em funcionamento. Estamos concluindo o treinamento do pessoal. Procedimento que é necessário porque todos os equipamentos da unidade são informatizados e necessitam de uma qualificação especial para que sejam operados”, disse Gleonice Peixoto ao justificar o atraso de 48 dias na abertura da unidade de saúde recém inaugurada.

Construída com investimentos na ordem de R$ 2,8 milhões, com receita oriunda dos cofres dos governos federal e estadual, o equipamento de saúde deverá substituir a atual Unidade de Emergência de Penedo, que terá a gestão a cargo da Prefeitura Municipal, que contará com recursos tripartite – municipal, estadual e federal.

UPAs

As Unidades de Pronto Atendimento são estruturas de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde e as portas de urgência hospitalares. Juntas, elas compõe uma Rede Organizada de Atenção às Urgências.

Elas são integrantes do componente pré-hospitalar fixo e devem ser implantadas em locais estratégicos para a configuração das redes de atenção à urgência, com acolhimento e classificação de risco em todas as unidades, em conformidade com a Política Nacional de Atenção às Urgências.

A estratégia de atendimento está diretamente relacionada ao trabalho do Serviço Móvel de Urgência (Samu), que organiza o fluxo de atendimento e encaminha o paciente ao serviço de saúde adequado à situação.

Nas unidades, os pacientes são avaliados de acordo com uma classificação de risco. Eles podem ser liberados ou permanecer em observação por até 24 horas, ou, se necessário, removidos para um hospital de referência.

Atendimento

As UPAs deverão funcionar todos os dias da semana, durante 24 horas, com uma equipe multiprofissional realizando acolhimento e classificação de risco. Com isso, os pacientes serão destinados para as alas verde, azul e vermelha, de acordo com o grau de complexidade apresentado no momento da chegada à unidade. As UPAs dispõem de leitos de observação, laboratório para diagnóstico e equipamentos de raio-x e eletrocardiograma.

O serviço deverá contribuir para diminuir as internações em hospitais porque amplia o serviço ofertado, fazendo com que apenas os casos graves sejam transferidos para centros de referência de média e alta complexidade, diminuindo a demanda de pacientes em unidades como o Hospital Geral do Estado (HGE).

As UPAs serão mantidas com recursos das três esferas de Governo, sendo necessário um custeio que varia de R$ 400 a R$ 700 mil mensais. Além das UPAs de Viçosa e Penedo, o Governo pretende inaugurar UPAs em Palmeira dos Índios e Delmiro Gouveia, com as unidades já prontas e aguardando a sinalização dos respectivos prefeitos para que sejam equipadas e inauguradas.





Fonte: GazetaWeb

Nenhum comentário:

Postar um comentário