segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Braskem lança portfólio de resinas com diferenciais competitivos e ambientais

Imagem: Internet
A Braskem, maior produtora de resinas das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, acaba de criar um selo para identificar as resinas que maximizam a competitividade de seus clientes e contribuem ao desenvolvimento sustentável. A família Braskem Maxio® identifica as resinas, dentro do seu portfólio, que oferecem melhor desempenho em suas aplicações por meio da possibilidade de redução de custos de produção, e por consequência dessa maior eficiência, proporcionam ganhos ambientais.


Os benefícios são obtidos graças à evolução contínua das resinas, preservando ou melhorando propriedades mecânicas, químicas e óticas de produtos acabados. Portanto, a nova família chega para possibilitar maior eficiência à cadeia do plástico e reduzir impacto ambiental no processo de transformação. A criação do selo está alinhada com a Visão 2020 da Braskem, de ser a líder mundial da química sustentável, tendo a inovação como um de seus pilares. Nessa fase inicial, 11 resinas de polipropileno e EVA farão parte desta família, com as seguintes melhorias de processamento:
Redução do consumo de energia: processamento a temperaturas mais baixas; aumento de produtividade na transformação: redução no ciclo produtivo e até eliminação de etapas produtivas; redução de peso: redução no uso de matéria-prima com a manutenção das propriedades estabelecidas para o produto final.
Com foco em garantir qualidade e desempenho, os produtos Braskem Maxio® possibilitarão maior eficiência no uso energético; ganhos financeiros, pelo melhor aproveitamento dos ativos; e ganhos econômicos, com a redução do custo de produção.
Para legitimar os benefícios mencionados, diversos testes foram realizados em clientes, com acompanhamentos de outras empresas para validação dos resultados, como por exemplo da metodologia e dos equipamentos de alta precisão validados pelo Instituto Mauá de Engenharia, de modo que os dados encontrados de fato capturassem condições reais de produção. Como exemplo, um dos casos formulados em um cliente de utilidade doméstica é apresentado, cujo ganho de competitividade foi alcançado ao mesmo tempo tanto pela redução de temperatura quanto pelo ciclo de produção:
Utilizando uma resina de polipropileno com índice de fluidez de 40g/10’ para injeção de um organizador transparente, com espessura de 1,47mm, o Cliente alcançou reduções de temperatura de injeção de 240°C para 200°C (economia de 0,08kW*h) e na sequência um aumento de produtividade de 1,52kg/min para 1,70kg/min com a redução do ciclo de injeção.
Em outras palavras, o ganho real foi de 12% de produtividade e de 40°C a menos de temperatura. Em termos de ganho final, a redução medida foi de 69kW*h/tonelada, ou seja, 8,9% de economia, e a peça final apresentou propriedade ótica superior à condição anterior, que, quando se procura transparência, é um atrativo desejável. 



Fonte: Mais.al

Nenhum comentário:

Postar um comentário