terça-feira, 2 de outubro de 2012

Estudantes vão às ruas contra aumento de passagem


Após mais um aumento da tarifa de ônibus em Maceió, trabalhadores e estudantes se somam novamente para levar às ruas a posição da população, contra qualquer reajuste. Nesta terça-feira (02/10) uma manifestação toma conta da Avenida Fernandes Lima, com concentração no CEPA a partir das 7h. Convocam o ato entidades estudantis, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e movimentos sociais e populares.
O novo reajuste para R$ 2,30, já questionado pelo Ministério Público Estadual (MPE), foi concedido pelo presidente do Tribunal de Justiça, sob requerimento da entidade de classe dos empresários do setor – a Transpal. O aumento, pela segunda vez em menos de um ano, foi concedido à margem dos procedimentos legalmente concebidos para tanto, desrespeitando as leis municipais, o conselho constituído para esta decisão e a sociedade civil organizada.
A concentração do ato contra o aumento ilegal da passagem se inicia no portão de entrada do CEPA, com oficinas de artes visuais, intervenções teatrais e batuques. “Para o trabalhador e para seus filhos, o que tem é o sofrimento diário nesse sistema de transporte precário, que chama ônibus velho de novo”, questiona Vicente Oliveira, da CUT. Continua: “enquanto isso, a planilha de custos só demonstra o aumento do lucro dos empresários a cada reajuste”.
Os manifestantes prometem fazer de maneira descontraída seu protesto pela Avenida Fernandes Lima, descendo em direção ao Centro de Maceió. Esta é a primeira atividade unificada do que deve ser uma nova leva de atos de rua para impedir que esta decisão equivocada da Justiça seja mantida, em sobreposição ao anseio das famílias, que não tem condições de pagar diariamente uma tarifa tão cara.
Nas palavras da própria Desembargadora Nelma Padilha, quando da decisão de reverter o aumento da tarifa, em agosto deste ano: “o valor de R$ 2,30 já está em vigor desde março de 2012. Ressalta-se que nenhuma melhoria foi vista pela sociedade no transporte público, que permanece com frota reduzidíssima, especialmente nos fins de semana e horários noturnos, ônibus sucateados, com tempo de uso já bastantes ultrapassado”, declarou.



Fonte: Primeira Edição / Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário