quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Em Alagoas, renegociação de dívidas do Crédito Fundiário tem novo prazo


Beneficiários tem até 2013 para renegociar as dívidas


Os agricultores beneficiários do Programa Nacional do Crédito Fundiário (PNCF) agora adquiriram mais tempo para renegociarem suas dívidas com o Governo Federal. A aprovação do adiamento do prazo de adesão para a renegociação das dívidas, junto às instituições financeiras, foi divulgada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

O prazo que deveria ter terminado em 30 de setembro deste ano foi prorrogado para até 28 de março de 2013. De acordo com o diretor de Departamento de Crédito Fundiário, em Brasília, Dino Castilhos, esta prorrogação da renegociação das dívidas está prevista pela resolução 4.128, e é uma medida inicial, visto que outras melhorias estão sendo discutidas pelo Governo Federal.

Para o presidente do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (ITERAL), Alan Balbino, esta prorrogação é extremamente importante, visto que o programa oferece atualmente duas linhas de financiamento, o de combate a pobreza rural e o da consolidação da agricultura familiar. “As novas atividades que definem uma significativa melhora nos índices de adesão para a renegociação das dívidas do Crédito Fundiário permitem que mais agricultores, com esta adimplência, voltem a acessar as políticas públicas de custeio, bem como as de cunho social”, completou Balbino.

Unidade Técnica Estadual – UTE/ITERAL
Em Alagoas, a Unidade Técnica Estadual – UTE, nos seus princípios e normas, atua no acompanhamento das ações implementadas nas linhas de contratação e financiamento, que visam contribuir para a redução da pobreza rural e na melhoria na qualidade de vida dos agricultores familiares e associações.

Segundo o diretor técnico do Iteral e coordenador do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), Severino Araújo, com a ajuda do Governo do Estado e do Governo Federal, o ITERAL proporcionou ao PNCF atingir mais de 50% do território alagoano. “Hoje, em números, temos 3.054 famílias assentadas, em mais de 34.600 hectares, localizados no Alto Sertão, Médio Sertão, Bacia Leiteira, Agreste e Mata Alagoana, e com a previsão de assentar mais 200 famílias até o final do ano”, destacou Araújo.


 
Fonte: Assessoria / 7segundos

Nenhum comentário:

Postar um comentário